• RSS
  • Delicious
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter

Pregação: Pr. Rico | Data: 28/10/2012 |
Referência bíblica: Apocalipse 22:12-17 e João 3:16-21 |
Texto: Elaine Lisbôa

No texto anterior desta série de pregações sobre Escatologia (se não viu, clique aqui), tratamos sobre a primeira fase do arrebatamento da igreja. Estudamos que Jesus Cristo irá cumprir Sua promessa àqueles que permaneceram firmes na Sua Palavra (Mateus 24: 36-44 e Lucas 17:24-36). Num abrir e fechar de olhos, Ele retornará invisível ao mundo, de maneira silenciosa e inesperada, e arrebatará (raptar, lembra?) a Sua Noiva de todas as partes do mundo.

Todas as pessoas que morreram crendo que Jesus Cristo é Senhor e Rei, serão ressuscitadas primeiro e, em seguida, as que estiverem vivas terão os seus corpos transformados, e juntos (mortos e vivos) se encontrarão com o Senhor nas alturas (1 Tessalonicenses 4:13-17; 5:2-3). Chegamos, portanto, aos eventos que se seguem após esse maravilhoso acontecimento. Vale lembrar que, simultaneamente, a Terra estará passando por um caos, devido ao sumiço inesperado de milhares de vidas.

Após o arrebatamento, dois eventos escatológicos ocorrerão no céu: O Tribunal de Cristo e as Bodas do Cordeiro. Eles estão relacionados apenas com a Igreja e encerra o projeto divino referente a ela, que desde então estará unida com o seu Noivo para sempre. Neste texto abordaremos apenas o primeiro evento após o arrebatamento.

O Tribunal de Cristo

“Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”. 2 Coríntios 5:10.

O Tribunal de Cristo não terá caráter judiciário ou condenatório. Trata-se de um Trono de concessão de prêmios aos vencedores. O seu objetivo não é julgar os crentes, mas avaliar as suas obras de acordo com o ministério que cada um recebeu.

Toda a pessoa que passar por esse Tribunal já estará com a sua salvação definitivamente garantida, não tendo mais a possibilidade de perdê-la. Neste momento, cada um receberá o galardão que for merecedor pelos serviços prestados ao Rei na face da Terra. O Senhor examinará detalhadamente a qualidade das obras feitas, e através do fogo será provada a obra de cada um.

“A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”. 1 Coríntios 3:13-15.

“E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento. Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo”. Filipenses 1:9-10.

Existem duas palavras traduzidas por “Tribunal” no Novo Testamento. A primeira é “criterion”, usada em Tiago 2:6 e 1 Coríntios 6:2-4. Esta palavra significa “instrumento ou meio de pôr à prova ou julgar qualquer coisa” ou “local onde o julgamento é feito”.

A segunda palavra é “bema”, que significa “local elevado cujo acesso se fazia por degraus, plataforma, ou tribuna”, usada em relação ao assento oficial de um juiz (Atos 18:2, 16). Comumente correspondia ao acesso de um presidente ou juiz para recompensar os competidores de alguns jogos e premiar os vencedores.

“Bema” é a palavra usada para o “Tribunal” de Cristo. Esse termo nunca foi usado em referência a um assento judicial, desta forma, se associa à ideia de proeminência, dignidade, autoridade, honra e recompensa. O “bema” de Cristo tem o objetivo de recompensar alguém pelos serviços prestados a Deus e pela vitória obtida nos combates da vida.

Assim, a Igreja que for levada para fora da esfera terrestre será avaliada e recompensada. Temos essa interpretação, pois de acordo com Lucas 14:14, a recompensa está associada à ressurreição; e passagens como 1 Coríntios 4:5, 2 Timóteo 4:8 e Apocalipse 22:12 revelam que as recompensas estão associadas com a Vinda de Jesus, o que nos mostra que o galardão da igreja será após o arrebatamento e antes de Jesus se revelar pessoalmente à Terra. Veja as referências abaixo:

“E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos”. Lucas 14:14.

“Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor”. 1 Coríntios 4:5.

“Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda”. 2 Timóteo 4:8.

“E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”. Apocalipse 22:12.

Vimos então que os galardões serão as recompensas pela obediência a Deus; premiações pelo trabalho prestado em vida ao Senhor. Por isso, se você é uma pessoa que crê no Senhor Jesus como suficiente e eterno salvador, mas não trabalha em Sua obra, que recompensará terá durante o Tribunal de Cristo?

Mas tenha consciência de que não será avaliada a quantidade de tarefas que você ocupou na igreja ou o grau de importância e status que adquiriu. A recompensa de Jesus é justa, e pelo fogo Ele avaliará suas obras.

Se elas foram feitas mais para louvor humano do que para Deus (tipificadas na Bíblia por madeira, feno e palha), então serão queimadas no fogo. Mas se a obra que edificou subsistir ao fogo (tipificadas por ouro, prata e pedras preciosas), receberá o prêmio do Senhor. Portanto, independente das suas obras, jamais julgue seu irmão por considerar que ele faz menos do que você. Jesus avaliará também as intenções dos nossos corações.

“Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus”. Romanos 14:10-11.

Os tipos de recompensa

O Novo Testamento nos evidencia cinco áreas as quais alguém pode ser recompensado por Cristo. Vejamos abaixo:

As cinco Coroas

A coroa da vida: Será dada àqueles que suportaram provação e estiveram prontos a morrerem por Cristo.

“Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam”. Tiago 1:12.

A coroa da justiça: Será dada àqueles que organizam suas vidas no amor e na Vinda de Cristo.

“Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda”. 2 Timóteo 4:8.

A coroa de glória: Será dada aos fiéis pastores, que apascentam com amor o rebanho de Deus.

“Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória”. 1 Pedro 5:1-4.

A coroa incorruptível: Será dada aos que obtiveram vitória sobre o velho homem.

“E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível”. 1 Coríntios 9:25.

A coroa de gozo: Será dada aos ganhadores de almas.

“Porque, qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa de glória? Porventura não o sois vós também diante de nosso Senhor Jesus Cristo em sua vinda? Na verdade vós sois a nossa glória e gozo”. 1 Tessalonicenses 2:19-20.

A Noiva também receberá:

Um corpo glorioso

“Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas”. Filipenses 3:21.

Um novo nome

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe”. Apocalipse 2:17.

Vestes de Justiça

“O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”. Apocalipse 3:5.

Participará do julgamento dos anjos caídos e dos seres humanos

“Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?”. 1 Coríntios 6:2-3.

“E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos”. Apocalipse 20:4.

Herdará todas as coisas

“Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho”. Apocalipse 21:7.

Compartilhará do Trono de Cristo

“Palavra fiel é esta: que, se morrermos com ele, também com ele viveremos; Se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará”. 2 Timóteo 2:11-12.

“Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono”. Apocalipse 3:21.

É bom lembrar que com respeito às coroas, elas são para a glória de quem as concedeu e não de quem as recebeu (Apocalipse 4:10). O cristão foi redimido para trazer glória a Deus e esse é o seu destino eterno. Desta forma, o propósito das coroas é de que glorificação da igreja perante Deus durante toda a eternidade. Quanto maior for o prêmio, maior será a capacidade de glorificar a Deus.

No céu também não haverá o sentimento de inveja entre os que receberam menos ou mais. Todos estarão glorificados e os pecados não mais existirão. Viveremos juntos e em verdadeira unidade, com amor uns pelos outros e adoração perante Àquele que nos criou e é merecedor de toda honra e glória!

No próximo estudo veremos do que se trata o último evento de premiação da igreja que se dará pós-arrebatamento: A Bodas do Cordeiro. Até lá!

Esse texto teve como base a pregação do Pr. Rico realizada no dia 28/10/2012, na IEQ Parque das Nações, em Barueri, e na apostila do Instituto Teológico Quadrangular (ITQ), “Escatologia – A doutrina das últimas coisas”, de 2006.